Criei o espaço para publicar minhas idéias, digo poemas, apenas pensamentos espremidos até formarem versos. Puramente leigo, mais um diário que qualquer coisa.

Uma descrição do que passa por mim e do que fica, meu ponto de vista que é bastante restrito, desse tecido tão interessante, a alma humana.

Espero que apreciem a visita.


Todas as imagens são da internet e de propriedade dos respectivos sites.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Ajustando as lentes




Enchergar é tão intríseco
tal qual o respirar
Para quem tem os sentidos
Usa-los é quase obrigação

Mas desaprendemos a ajustar as lentes
Perdemos o foco do que realmente importa
Aquela impressão desfocada toma conta
E vira a boia salvavidas

Há quem morra sem enchergar além de si
Ou quem não consiga ver além do próximo
Aos primeiros chamamos egoístas
Os segundos, são santos

Fica fácil olhar a desgraça alheia
Fechar-se esconder a face
Sem ver-se no cerne do problema

Ou focar-se no alheio
Lutar por um mundo melhor
esquecendo de fazer parte dele
Ocorreu um erro neste gadget