Criei o espaço para publicar minhas idéias, digo poemas, apenas pensamentos espremidos até formarem versos. Puramente leigo, mais um diário que qualquer coisa.

Uma descrição do que passa por mim e do que fica, meu ponto de vista que é bastante restrito, desse tecido tão interessante, a alma humana.

Espero que apreciem a visita.


Todas as imagens são da internet e de propriedade dos respectivos sites.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Circulando




A vida ciclando infinita
um círculo de mudanças
Como pode ser redonda,
Sendo mudança a vida?

Voltar ao princípio é
chegar em algum final,
um ponto diferente
Segundo um rumo.

Passar por mudanças
Transformar-se, adaptar
Deixar marcas, construir
Formar laços, criar.

Onde fica o círculo
Em uma linha curva
tão cheia de voltas
E emaranhados?

Um ciclo não é fechado
Porque muda ao seu redor
Transforma à sua volta
À seu tempo...

sábado, 23 de janeiro de 2010

Ocasião passada


Perdi o chão, estremeci
A voz se foi, me perdi
O corpo mole, sem sentir
E assim, olhando-te, sorri

Coração na boca, emoção
Paixão nas veis, sensação
Ardor no corpo, figuração
Desejo cego, adoração

Sentada ao seu lado, só
Palavras vazias, sem dó
Pensamentos calados, ó

Idecifrável timidez incólume
Mantem a postura indiferente
Você foi, ver outro alguém.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Acontece

Acontece de a gente deixar-se ir
Esquecer de comandar a vida
Largar o barco na corrente
Esperar o que vai chegar

Uma hora se acorda
Olhando pra ver onde foi
Que ponto triste foi esse
E qual o trajeto seguido

DifÍcil achar o caminho de volta
Olhar as conquistas passadas
Chances que evaporaram no ar
Sem que se pudesse tentar

É trabalhoso dirigir nessa estrada
comandar a viagem e manter o rumo
Ficar alerta e acertar o sentido
Quem sabe o que vai acontecer?

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Saudosismo

No eco da minha voz
som abafado dos risos
a infância que me deixou
adolescência passada
sauda fico da vida
que inunda com alegria
memórias selecionadas
guardo-as lacradas
do lado esquerdo
todos aqueles sorrisos
amigos

sábado, 16 de janeiro de 2010

Racionalizando o ser

atenção, apreciação, audição
Seres humanos requerem tanto
Quanto o ar que não pode faltar
Mas negam aos demais, no entanto

Acontece que ser egoista
É intrínseco, instintivo
Faz parte da competição
Ajuda a eliminar os fracos

Frascos e comprimidos para depressão
Um sorriso à beira da morte
Não! Nâo é nada, apenas fraqueza
Por que fica remoendo sofrimento
Poderia trabalhar, gerar conhecimento?

Claro, por que pensar nos problemas
Enqunto posso trabalhar e produzir?
Pra que servem as tais relações
Se podemos reduzir e comprimir?

Espremer, apertar, acelerar, esmagar
Aquele que passa por tudo isso
Sai vencedor lá no final
resta saber se existe prêmio
Ocorreu um erro neste gadget