Criei o espaço para publicar minhas idéias, digo poemas, apenas pensamentos espremidos até formarem versos. Puramente leigo, mais um diário que qualquer coisa.

Uma descrição do que passa por mim e do que fica, meu ponto de vista que é bastante restrito, desse tecido tão interessante, a alma humana.

Espero que apreciem a visita.


Todas as imagens são da internet e de propriedade dos respectivos sites.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

amigos - feito no dia do amigo, para os meus amigões.


Amigo não tem dia
Não tem tempo, nem idade
Amigo é pra tempo ruim e tempo bom
E amigo mesmo passando a eternidade!
Amigo é um ser presente
Uma extensão do coração
Um ser com cara de gente
Mas com jeito de anjo
Amigo é perfeito
Mesmo insuportável
Amigo é aquele que
Consegue ser insuperável
Amigo ta lá pra dizer oi
Aguentar uma choradeira
Curar aquele porre
Ou só curtir um tempo de bobeira

segunda-feira, 20 de julho de 2009

expulsando ideias revoltantantes e revoltadas

Engraçado esse mundo nosso
A sociedade que o humano ser criou
Algo misto entre ordem e desumanidade
O valor das coisas se mede com papel
O valor das pessoas também

Não sabes meu valor,
como não sei o vosso
Nunca terás o valor que imaginas
Por que não nasceu esperto,
cheio de maldade

A política dos sábios é agora um bordéu
Jamais deixa-se de lucrar para fazer o bem
Queria saber então
O que posso eu fazer
Ouvindo o mundo pedir paz

A hipocrizia reinar mordaz
Entra as nações o saber
Coberto pelo preconceito
Repleto do ódio infundamentalista

Planeta dos espertos
Mundo dos patetas
Nós os palhaços,
Qua ainda ousamos
Manter o brilho dos olhos
E continuamos a sonhar


terça-feira, 14 de julho de 2009

vida é movimento


Vento que voa veloz
Volúvel sempre a soprar
Somos todos um pouco de vento
Mentes sempre a pensar
Movimento inerente ao ser
Existir sem poder parar
Mudamos sempre ao respirar
Estamos vivos por assim estar
Ser estagnado, sente a dor
Paralizado faltando o sentido
Sem som, voz ou cor
morte, decompõe-se a dor
multiplicando ondas de sentimento
Gerando doce movimento
Em busca de sentir outra vez,
Movimento
num bater de asas
num bater de palmas
num bater de coração.

domingo, 12 de julho de 2009

espontâneo

O poema é o som da alma
Revelando alegrias e dores
Dentretantos desejos e amores
a emoção que se materializa
Na forma de quadro, poema ou canção

Cada verbo se faz matiz
Substantivos seriam as cores
Adverbios mostram espinhos, ou flores
Dentre cada momento que se realiza
Mas sempre um retrato de um coração.
Ocorreu um erro neste gadget