Criei o espaço para publicar minhas idéias, digo poemas, apenas pensamentos espremidos até formarem versos. Puramente leigo, mais um diário que qualquer coisa.

Uma descrição do que passa por mim e do que fica, meu ponto de vista que é bastante restrito, desse tecido tão interessante, a alma humana.

Espero que apreciem a visita.


Todas as imagens são da internet e de propriedade dos respectivos sites.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Exceção




Explicar o conceito lhe tira
grande parte do mérito afinal
se é para ser diferente, vira
uma coisa padrão, com igual

Ouvia dizer durante a infância
saber ser diferente é grande
quem difere sempre é importante
saber opor-se, pensar por si

Como se ser banal fosse comum
Além disso, ser comum é ruim
Pensar por si pareceu a mim
algo sublime, ter voz, ser um.

Continuo procurando o padrão
tentando achar onde encaixar
Mesmo que tudo tente seguir
a simetria perfeita, vazia

Se tiver informação explique
como alguém difere sem padrão
pensar é único, já o desejar
fator comum. Desejar diferir.

Querer ser especial em lugar
onde existe uma ditada ordem
uma padrão ditado, por ninguém
dizendo sempre o que é melhor
resta me entender, para quem?

domingo, 22 de agosto de 2010

A urna do passivo versus ativa

Tão mofado está o sentido
o coletivo todo embotado
não se vê além do riso
se não for bom, pro lixo

Pensar é passado, tempo perdido
agir no presente, contanto que
seja apenas para auto-benefício
ou vira imperfeito particípio

Se aparecer na mídia vote.
Contestar é pra acomodados
incomodado... que trabalhe!
uma vaia aos incomodados.

Se quiser ser honesto aparecer
faça piada, fale muita besteira
Vai ter gente vendo, moscas
Elas sempre chamam as outras.

Mas votos? Bem simples então
depois do show, os bastidores
você se vende ao normal jargão
perca identidade, ganhe partido.

Por que tentar ser fiel aos ideais
pode ser usado contra no porvir
sejam simples e sem sentido, ou
concretas e com efeitos reais.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Procura-se



Nem ilusão nem mágica
a fantasia limitante
nem busco perfeição
ou forma contrastante

o modelo mais simples
de coração vivente
a bravura do sábio
com paixão ardente

um modelo que caiba
na palma das mãos
sem ali ficar preso
mas seguro e firme

que conduza sem mágoa
nem acabe por te-las
que não saiba o engano
mas saiba surpreender

que esqueça tudo lá fora
quando aqui dentro estiver
mantenha portas fechadas
mas se saia venha dizer

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Limpeza

Um dia me perguntei por que
tanto escondo minhas lágrimas
afogo sozinha os problemas
mesmo que demonstre tristeza.

Bebo-as ums a uma sempre
lavo assim minhas dores
pacientemente esperando
bebendo-as uma a uma.

Um reservatório sempre cheio
pode então resfriar todo ódio
apagar mágoas e afogar medos
rega minha esperança vicejante

A paciência é uma virtude
cutivada em tempo largo
regada com tantas lágrimas
recebe a luz do sorrisos.

Colhendo uma gota por vez
destilo o que não me cabe
purifico o que não serve
literalmente lavando a alma.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Desalento

Certas coisas não se muda
não se extrai uma essência
sem arrancar-lhe a polpa
sem esmagar o fundo d'alma

A dor de mais insana que
quebra o sonho mais alto
Como tenta voar o pássaro
se lhe alquebram as asas?

Se não souber livrar-se
da casca, ao ovo não sai
Mas se tiram-lhe o céu
por certo fica perdido

Por caso não sabia ele
que em vôo foi ao perigo?
Espreitando tão alto
Avistou-se o tal inimigo.

Certo, já lho tinham dito
uma pena não dar ouvidos
Tem asas afinal, é preciso
se não voa também perece.
Ocorreu um erro neste gadget