Criei o espaço para publicar minhas idéias, digo poemas, apenas pensamentos espremidos até formarem versos. Puramente leigo, mais um diário que qualquer coisa.

Uma descrição do que passa por mim e do que fica, meu ponto de vista que é bastante restrito, desse tecido tão interessante, a alma humana.

Espero que apreciem a visita.


Todas as imagens são da internet e de propriedade dos respectivos sites.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Mutação

Se deixar de amar, converter-me em fria concha
Vagarei alheia aos demais seres apenas existindo
Se esquecer de pensar, converter-me em molusco
Sonhando sem buscar, criando sem nada gerar
Se trancar o caminho, um ruim acontecer, posso
como reação comum aos vivos seres, transformar
Pedregulho do caminho, em brilhante madrepérola
Converter o que era lágrima, em grande piada
Fazer do choro uma grandíssima gargalhada

Bater de pestanas

A luz do sorriso a cada amanhecer
o dia se faz novo a cada gargalhar
o tempo desliza sem ser notado
escorregando em minhas mãos

Alguém diminui a luz, tão claro
quero ver o brilho desse olhar
contemplar o inteiro sem enfado
estar nessa loucura boa dos sãos

Ouvir-te a fala, é poema musical
tudo parece certo e o resto nada
o que importa é agora, esqueça
amanhã o dia é outro presente.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Quebra-cabeça

No meio-termo do todo
perdi um pedaço daquilo
acabo exagerando naquilo
em partes mil explodo

Com toda licença poética
retalho milhares de verbos
tomo posse de substantivos
roubo todos os sentidos

Reconstruo assim meu poema
de rimas velhas da canção
inventando adjetivos novos
mas sem fugir do jargão.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Bom dia

A Luz filtrando o calor, atravessa
A fresta das pestanas semi-cerradas
aquece o fluido viscoso e circulante
em tom de pressa, em cor de paixão

Minúsculas partículas irridescentes
Turvam e brilham ao fluxo do ar
dançando e girando no véu da luz
em magnífico mosaico a formar

Os sons que enchem e abafam os nossos
O mundo desperta sem esperar por nós
A vida que toma formas inusitadas
Oferece seu espetáculo de toda manhã.

Mágica

Somente respire, inflar e desinflar os pulmões
Mantenha os olhos abertos e foco nas cores
Elas são lindas, as cores e os contornos
Se sentir algum desconforto, então chore
Vai existir alguém lá só para atende-lo
Sempre que sentir fome, frio ou calor
Vai ensinar tudo que é necessário fazer
Para que siga respirando e não sinta dor
Alguém que nem sempre acerta, mas tenta
Você deve respeitar e amar, mesmo assim
O que são essas coisas? Ah, o nascimento
pode ser demorado ou mais curto, varia
Mas quando estiver pronto, vai ver a luz
Sentir um frio na barriga, uma perda
Assim são os começos, um pouco de medo
Mas você logo se acostuma, a vida.
Ocorreu um erro neste gadget