Criei o espaço para publicar minhas idéias, digo poemas, apenas pensamentos espremidos até formarem versos. Puramente leigo, mais um diário que qualquer coisa.

Uma descrição do que passa por mim e do que fica, meu ponto de vista que é bastante restrito, desse tecido tão interessante, a alma humana.

Espero que apreciem a visita.


Todas as imagens são da internet e de propriedade dos respectivos sites.

terça-feira, 12 de julho de 2011

Suspiros em branco

E a inspiração correu de mim
garoto perdendo sua pipa,
fugiu sem se quer pestanejar
cachorro correndo sozinho,
num torvelinho de confusões
folha voando solta ao vento,

Fiquei parada em mudo espanto
lágrima que para no rosto,
cristalizadas minhas palavras
inseto preso na seda alheia
nem mesmo o pranto em melodia
olhar de criança sem emoção
me faz agora companhia.

6 comentários:

  1. Preciso agradecer vários comentários ainda e as visitas de todos no blog, desculpem pela ausência temporária.

    Gil, espero ter aprendido a publicar la no ACAPEC, e obrigada pela idéia de versos paralelos, li um dos seus que era assim.

    inspirações e suspiros ;)

    ResponderExcluir
  2. Cibis, as coisas simples aos olhos comuns, são boas metáforas para o poeta fazer boa poesia.

    Parabéns pelo poema e talento!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. O branco da uma paz, mas não fazer correr daquele jeito.

    JC

    ResponderExcluir
  4. Olá Cibis,
    Linda sua poesia! Muito talento e sensibilidade me parecem ser sua marca registrada. Parabéns, querida!
    Gostaria que conhecesse meu blog e, se gostar, siga-me e deixe um comentário em minha postagem, ok? Ficaria muito feliz em vê-la por lá. Já a estou seguindo e virei mais vezes aqui.
    Um ótimo domingo e um grande beijo,
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir
  5. Cibis, captar as coisas com a sensibidade que tens é um dom. parabéns .Bjos

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget