Criei o espaço para publicar minhas idéias, digo poemas, apenas pensamentos espremidos até formarem versos. Puramente leigo, mais um diário que qualquer coisa.

Uma descrição do que passa por mim e do que fica, meu ponto de vista que é bastante restrito, desse tecido tão interessante, a alma humana.

Espero que apreciem a visita.


Todas as imagens são da internet e de propriedade dos respectivos sites.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

expulsando ideias revoltantantes e revoltadas

Engraçado esse mundo nosso
A sociedade que o humano ser criou
Algo misto entre ordem e desumanidade
O valor das coisas se mede com papel
O valor das pessoas também

Não sabes meu valor,
como não sei o vosso
Nunca terás o valor que imaginas
Por que não nasceu esperto,
cheio de maldade

A política dos sábios é agora um bordéu
Jamais deixa-se de lucrar para fazer o bem
Queria saber então
O que posso eu fazer
Ouvindo o mundo pedir paz

A hipocrizia reinar mordaz
Entra as nações o saber
Coberto pelo preconceito
Repleto do ódio infundamentalista

Planeta dos espertos
Mundo dos patetas
Nós os palhaços,
Qua ainda ousamos
Manter o brilho dos olhos
E continuamos a sonhar


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget