Criei o espaço para publicar minhas idéias, digo poemas, apenas pensamentos espremidos até formarem versos. Puramente leigo, mais um diário que qualquer coisa.

Uma descrição do que passa por mim e do que fica, meu ponto de vista que é bastante restrito, desse tecido tão interessante, a alma humana.

Espero que apreciem a visita.


Todas as imagens são da internet e de propriedade dos respectivos sites.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Mutação

Se deixar de amar, converter-me em fria concha
Vagarei alheia aos demais seres apenas existindo
Se esquecer de pensar, converter-me em molusco
Sonhando sem buscar, criando sem nada gerar
Se trancar o caminho, um ruim acontecer, posso
como reação comum aos vivos seres, transformar
Pedregulho do caminho, em brilhante madrepérola
Converter o que era lágrima, em grande piada
Fazer do choro uma grandíssima gargalhada

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget