Criei o espaço para publicar minhas idéias, digo poemas, apenas pensamentos espremidos até formarem versos. Puramente leigo, mais um diário que qualquer coisa.

Uma descrição do que passa por mim e do que fica, meu ponto de vista que é bastante restrito, desse tecido tão interessante, a alma humana.

Espero que apreciem a visita.


Todas as imagens são da internet e de propriedade dos respectivos sites.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Inspiração alheia

Em jorro vívido e vermelho
sangue velho e coagulado escapa
entre cerca apertada dos dentes
fluido viscoso que escorre e queima
aberta a víscera e desmantela
passa adiante derretendo, mudando

Um pulo no escuro jogar-se ao abismo
enfrentar o medo dentro de si
e virar-se ao inimigo revolto
o espelho que é igual oposto
essa teima constante que se quebra
desgasta por dentro e tudo arrasa

Argumentação infinita que se move
entre outras discussões da teia
cruzando caminhos e pisando espinhos
expele o resultado verborrágico
o veneno destilado desse resultado
atirado em versos desconexos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget