Criei o espaço para publicar minhas idéias, digo poemas, apenas pensamentos espremidos até formarem versos. Puramente leigo, mais um diário que qualquer coisa.

Uma descrição do que passa por mim e do que fica, meu ponto de vista que é bastante restrito, desse tecido tão interessante, a alma humana.

Espero que apreciem a visita.


Todas as imagens são da internet e de propriedade dos respectivos sites.

sábado, 3 de julho de 2010

Céu de tormenta

A noite silencia, com todo ruído
o calor de verão acaricia incômodo
tudo é inquietante em movimento
contraste com o céu inteiro púrpura

O brilho da lua todo encoberto
aquela quebra de calor tão intenso
o silêncio esboça mostrar-se então
tudo diminui de intensidade, calor

umidade sufocante, a terra aguarda
o cheiro de relva verde aquecida
os ruídos aguçados pela temperatura
olhos e antenas focados, premiados

Vastidão aquosa derramada em fúria
a verter das nuvens no rasgar do raio
a luz ofusca o alívio temporário
o bálsamo derramado entre trovoadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget