Criei o espaço para publicar minhas idéias, digo poemas, apenas pensamentos espremidos até formarem versos. Puramente leigo, mais um diário que qualquer coisa.

Uma descrição do que passa por mim e do que fica, meu ponto de vista que é bastante restrito, desse tecido tão interessante, a alma humana.

Espero que apreciem a visita.


Todas as imagens são da internet e de propriedade dos respectivos sites.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Serpenteando

Acordar do avesso, virada pra dentro
tento levantar e me sento, observando
tudo sensível, o corpo lento move
vôo dentro, à velocidade do pensamento

Em salto deslizo, mundo a fora viajando
tudo tão torcido faz sol, aqui chove
minhas lágrimas molhando a manhã
Sorriso aberto para o dia seguir

Tateando nesse lugar meio hostil
ando depressa, por medo de ser presa
mas nem tanto, para apreender e ver
por que é bonito o desconhecido

O incabível o tangível, nada plausível
a sensação como um todo, do que é novo
assusta, atrai e perturba. Encantador!
Esse poço sensitivo, nasce descobridor

A linha tênue que sustenta o seguir
separa frágil o deixar de existir
manter-se alheio sempre é opção
vestir o capuz, ignorar a tentação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget