Criei o espaço para publicar minhas idéias, digo poemas, apenas pensamentos espremidos até formarem versos. Puramente leigo, mais um diário que qualquer coisa.

Uma descrição do que passa por mim e do que fica, meu ponto de vista que é bastante restrito, desse tecido tão interessante, a alma humana.

Espero que apreciem a visita.


Todas as imagens são da internet e de propriedade dos respectivos sites.

domingo, 14 de novembro de 2010

Baseado, em fatos reais.

Ah essa insônia persistente
que deixa acordada a mente
não deixa fugirem os sonhos
nem deitarem vôo as esperanças
um rígido e inexorável vigiar.
Mantendo sempre sóbrio olhar
atentando aos deslizes e quedas
para que a postura seja reta
essa eterna mesmice que cansa
o riso contido e choro escondido
emoção que nunca chega ao olhar.
Por que chegaria à janela, se
não provem ela espontânea da alma?
Se é sempre fingida a minha calma
muito estúpida a benevolência
se eu esqueço minha autonomia,
quem vai lutar por minha justiça
o direto unânime de ser autêntico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget