Criei o espaço para publicar minhas idéias, digo poemas, apenas pensamentos espremidos até formarem versos. Puramente leigo, mais um diário que qualquer coisa.

Uma descrição do que passa por mim e do que fica, meu ponto de vista que é bastante restrito, desse tecido tão interessante, a alma humana.

Espero que apreciem a visita.


Todas as imagens são da internet e de propriedade dos respectivos sites.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Batatinha quando nasce

Nasci sem saber andar
mas atiro-me correndo
por ai nesse mundão
Nasci sem saber sonhar
mesmo assim eu tropeço
flutuante, por ai a viajar
Nasci sem saber querer
mas me torce o miocárdio
cada gesto e sorriso teu
Nasci sem saber amar
espero alguém me ensinar
sempre e de novo, recomeçar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget