Criei o espaço para publicar minhas idéias, digo poemas, apenas pensamentos espremidos até formarem versos. Puramente leigo, mais um diário que qualquer coisa.

Uma descrição do que passa por mim e do que fica, meu ponto de vista que é bastante restrito, desse tecido tão interessante, a alma humana.

Espero que apreciem a visita.


Todas as imagens são da internet e de propriedade dos respectivos sites.

sábado, 26 de junho de 2010

Em branco

Cor da luz, tão vibrante
remete ao saber, consciente
ao tempo futuro ou presente
o que se faz aparecer, claro.

Uma cor de dois lados, tal
como o é o saber, apreender
algo palpável e compreendido
definido, nem sempre completo.

O puro, o alvo, mistura, espectro
tanto em um só que extravasa, luz
o matiz mais aguçado, da percepção
aquele que desvenda, conjunção.

O tudo que vem vazio, afinal
viver é contradição, dúvida
sem desafio, não há reação
ausência do estímulo, inércia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget