Criei o espaço para publicar minhas idéias, digo poemas, apenas pensamentos espremidos até formarem versos. Puramente leigo, mais um diário que qualquer coisa.

Uma descrição do que passa por mim e do que fica, meu ponto de vista que é bastante restrito, desse tecido tão interessante, a alma humana.

Espero que apreciem a visita.


Todas as imagens são da internet e de propriedade dos respectivos sites.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Inexplicável detalhado

Quando tudo parece igual
Nada parece servir, jamais
Aquele momento em que
O tédio nos domina,

Essa coisa pesada, fluida
A sensação de vazio
Supera qualquer coisa
Engole qualquer sentimento

Traga-nos como a areia movediça
Enlevo do ócio absoluto, e
Ainda que não estejamos tristes
Nos derruba fora da alegria.

Um querer ser e não estar
Vontade de correr, voltar
Senso de direção sem saída
Estar machucado sem a ferida.

Quem não experimentou já
tal sensação tão descabida?
É mais um dos sintomas que
atesta nossa humanidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget